Qual é a importância da amizade para o desenvolvimento das crianças?

20.07.19

Saiba como incentivar os relacionamentos de amizade dos pequenos e não atrapalhar seu desenvolvimento

Você sabia que pessoas que não têm amigos próximos estão mais sujeitas a problemas psicológicos, como baixa autoestima, estresse e depressão? Pois é, a forma como nos relacionamos com os outros influencia muito sobre como nos vemos e nos sentimos. Quando estabelecemos relações seguras, de interesse pelo outro, de afeto e reciprocidade, nos sentimos mais felizes e realizados, e com os pequenos não é diferente!

A amizade é muito importante para o desenvolvimento social e emocional das crianças, e pais e escola devem estimular ao máximo esses vínculos. 

Crescendo juntos

Ao se relacionarem com amigos, as crianças aprendem a cooperar, a manejar conflitos, adquirem maior conhecimento sobre si e sobre o mundo, desenvolvem recursos para enfrentamento de situações e resolução de problemas e, principalmente, sentem prazer e felicidade. 

São muitos os fatores que influenciam crianças a fazer e manter amigos, mas os principais envolvem a competência em algumas habilidades sociais específicas. Tanto na infância quanto na adolescência, podemos identificar e estimular algumas condições que facilitam o comportamentos de fazer e manter amizades. Vamos pensar sobre como os pais podem ajudar?

Crie oportunidades

Em primeiro lugar, os pais precisam dar oportunidade para que as crianças entrem em contato com outras crianças. Caso isso não ocorra, as relações estabelecidas pelas crianças serão constituídas apenas por familiares.

Pensem em lugares além da escola que vocês possam levar as crianças e também observar como elas se relacionam. Hoje em dia, existem muitos restaurantes com espaços kids, quase todos os bairros da cidade têm pelo menos um parquinho ao ar livre onde os pais costumam levar as crianças, até mesmo em algumas festas de adultos são planejadas estruturas para os pequenos se divertirem. 

Porém, são os contatos mais frequentes com os mesmos colegas que vão ter mais chances de desenvolvimento dos vínculos mais intensos e que podem ser mais duradouros. Os pais podem consultar professores para saber com quais coleguinhas a criança tem mais afinidade e ficar atentos aos nomes de colegas que a criança mais fala para conhecer esses amigos e, quem sabe, ampliar o contato para fora da escola.

Dê o exemplo

Outra maneira de ajudar as crianças a fazer amizades é ensiná-las a se aproximar de outras crianças e iniciar interações fazendo perguntas e cumprimentando. “Oi, tudo bem com você?”, “Olá, você quer brincar comigo?”, “Como é seu nome?”, “Me empresta seu brinquedo?”, são alguns exemplos. 

Aqui, vale lembrar da influência do modelo que é passado pelos pais. Quando as crianças vêem que os pais cumprimentam e iniciam conversa com outras pessoas, esse comportamento é mais facilmente aprendido por elas.

Liberdade e autonomia

 Outra questão importante é que os pais incentivem os relacionamentos sem ficar direcionando a criança sobre o que fazer ou o que falar, e sem se envolver diretamente nesses relacionamentos. É preciso incentivar a autonomia também nesse aspecto!

Ao incentivarmos e conhecermos as amizades da criança, conhecemos mais sobre quem ela é e como ela se relaciona com o mundo. A partir dessas relações, conseguimos identificar muitas habilidades e também possíveis déficits de habilidades que elas apresentam e que podem estar atrapalhando sua vida. 

Vamos trabalhar nisso? 

Beijos!

NEWSLETTER

Assine a newsletter e receba nossas novidades.